DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Polícia monta operação em Paraisópolis para localizar agente que desapareceu

Policial militar é dada como desaparecida após briga em bar na zona sul. Testemunhas informaram que agente teria sido baleada por homens

O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2018 | 20h21

SÃO PAULO - As polícias Militar e Civil montaram operações na região de Paraisópolis, zona sul de São Paulo, após relatos de que uma policial militar teria sido atacada por homens e teria sumido na sequência, na madrugada desta quinta-feira, 2. Um boletim de ocorrência foi registrado por colegas e a polícia trata o caso como desaparecimento. Até a noite desta quinta, não havia informações sobre o seu paradeiro.

De acordo com o boletim registrado no 89.º Distrito Policial (Portal do Morumbi), Juliane dos Santos Duarte, de 27 anos, foi vista pela última vez na Rua Melchior Giola, na Vila Andrade. Uma secretária de 41 anos compareceu ao DP informando que a policial participava de um churrasco em sua casa quando por volta da meia-noite foi para a casa de vizinhos. Às 6h da manhã, uma vizinha chegou desesperada e informou que a PM teria sido baleada por indivíduos desconhecidos.

As circunstâncias dos disparos teria envolvido uma briga iniciada em um bar após ela se identificar como policial militar e reclamar do sumiço de um aparelho celular da mesa em que estava. A policial atuava na 2ª Companhia do 3º Batalhão Metropolitano, responsável pelo patrulhamento em parte do Jabaquara, na zona sul. 

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública informou que a PM "de imediato determinou operações em Paraisópolis e arredores com objetivo de localizar a vítima". "Equipes do 89º DP também estão no local", acrescentou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.