Polícia Militar prende grupo suspeito de fazer arrastões no Guarujá

Adolescentes teriam participado dos roubos de câmeras fotográficas, celulares e joias; vítimas levaram até 12 horas para registrar boletim

Zuleide de Barros, O Estado de S. Paulo

01 Janeiro 2015 | 18h02

GUARUJÁ - O ano começou com uma série de arrastões nas praias do Guarujá, na Região Metropolitana da Baixada Santista, litoral de São Paulo. Onze pessoas foram detidas e outros oito menores foram apreendidos, dentre eles dois com 13 anos de idade. Os suspeitos agiram com extrema violência, logo após a queima de fogos na passagem do ano.

Eles exigiam os pertences das vítimas, como celulares, máquinas fotográficas e jóias. Foram registradas ocorrências nas praias da Enseada e Astúrias.Um revólver foi apreendido. A movimentação foi intensa na delegacia sede do município, tanto por parte das vitimas, que foram registrar os boletins de ocorrência, como por parte dos parentes dos menores capturados pela Polícia Militar.

Até o final da tarde desta quinta-feira, 1, havia gente tentando registrar boletim. A grande reclamação das vítimas, quase todas elas procedentes da capital e que vieram para Guarujá apenas para participar dos festejos da virada, era sobre o tempo de espera na delegacia, uma vez que algumas se queixaram de ter esperado até 12 horas para  fazer o registro das perdas.

Mais conteúdo sobre:
segurança polícia militar arrastão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.