Polícia Militar prende dois suspeitos de assassinato de cadete

Raphael Camilo Passos, de 23 anos, foi morto em uma tentativa de assalto na frente de sua casa, no Tucuruvi, zona norte de São Paulo

Felipe Resk e Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

17 de março de 2015 | 09h17

SÃO PAULO - A Polícia Militar prendeu na noite desta segunda-feira, 17, dois suspeitos de terem participado do assassinato do cadete Raphael Camilo Passos, de 23 anos. O policial foi morto de manhã durante uma tentativa de assalto, na frente da casa onde morava, no Tucuruvi, zona norte da capital. Outros quatro suspeitos morreram, um foi preso e um jovem, apreendido.

As duas prisões mais recentes ocorreram depois que a Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima do local em que os suspeitos estariam escondidos. Por volta das 22h, policiais do PM Vítima, da Corregedoria, apoiados por oficiais do 5º Batalhão foram até os endereços indicados.

Os policiais encontraram o primeiro suspeito na Rua Soldado Almir Bernardino, no Parque Novo Mundo, na zona norte. Já o segundo foi pego na zona leste, na Rua São Felipe, região do Parque São Jorge. Uma pistola calibre 765 também foi apreendida. Os dois suspeitos foram presos em flagrante e levados para o 39º Distrito Policial (Vila Gustavo).     

Crime. Passos foi morto dentro do carro de um primo de 22 anos, também cadete, que havia passado na casa da vítima para irem juntos à Academia de Polícia Militar do Barro Branco, na Água Fria, na zona norte. Eles foram abordados por cinco homens, em um Fiat Palio.

Segundo policiais que atenderam a ocorrência, os criminosos atiraram porque viram a farda dos oficiais no carro. Os disparos acertaram Passos, que morreu apesar de ter sido socorrido ao Hospital Mandaqui. O primo reagiu e matou um dos assaltantes. Ferido, um adolescente de 17 anos foi encontrado no hospital e apreendido.  

Os policiais também encontraram o documento de Diego Oliveira, de 18 anos, no local do crime. Os PMs foram até a casa dele e o prenderam. Horas depois da tentativa de assalto, três suspeitos de ter participado do crime morreram em confronto com policiais da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), no Parque Novo Mundo.

Tudo o que sabemos sobre:
ViolênciaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.