Polícia Militar aumenta efetivo nesta manhã em Paraisópolis

Iniciada na segunda, ação já conta com 400 policiais, 20 cavalos, 100 viaturas, quatro cães e um helicóptero

Ricardo Valota, estadao.com.br

04 Fevereiro 2009 | 07h33

A Polícia Militar reforçou o efetivo nas principais entradas e saídas da Favela Paraisópolis, na região do Morumbi, zona sul da capital paulista, na manhã desta quarta-feira, 4. A operação conta com 400 policiais militares, 20 cavalos, quatro cães, cerca de 100 viaturas e um helicóptero. Policiais da Tropa de Choque também participam da ação. O funcionamento de creches e Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) deve ocorrer normalmente durante o dia.   Na manhã desta quarta, um comboio de carros da Tropa de Choque chegou a bloquear parte da Marginal do Pinheiros por volta das 7 horas. O comboio seguia em direção à favela de Paraisópolis e causou lentidão para o motorista que passava pela marginal. Na terça-feira, 3, o secretário da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão, afirmou que o cerco à favela vai continuar por tempo indeterminado, até que a situação volte ao normal.   Veja também: Polícia apura se ordem para conflito veio da prisão Paraisópolis cresceu ignorada pelo poder público Paraisópolis passa por mudança  TV Estadão - O confronto com a PM  Galeria de fotos do confronto em Paraisópolis   Todas as notícias sobre o confronto em Paraisópolis          A Polícia Militar ocupa a favela desde o fim da tarde da segunda-feira, 2, quando houve confronto na região. Manifestantes montaram barricadas e atearam fogo em automóveis. Acredita-se que a morte de um membro do tráfico tenha motivado a revolta de traficantes. A intenção da PM é manter um efetivo reforçado na favela até que sejam detidos os responsáveis pelo tumulto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.