Polícia mata sequestradores de empresário de Sorocaba

O empresário, que não teve o nome divulgado a pedido da família, foi rendido na frente de sua casa, no bairro Paineiras

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

25 Dezembro 2014 | 19h35

SOROCABA - Policiais militares mataram dois homens acusados do sequestro de um empresário de Sorocaba, na noite de quinta-feira (24), véspera do Natal. Outros dois acusados do crime foram presos.

O empresário, que não teve o nome divulgado a pedido da família, foi rendido na frente de sua casa, no bairro Paineiras, zona norte de Sorocaba. Colocado no banco de trás de um carro, ele era levado para um suposto cativeiro na Grande São Paulo. Avisada do sequestro e com as características do veículo fornecidas pelos familiares da vítima, a Polícia Militar montou uma barreira no km 57 da rodovia Castelo Branco, em São Roque.

Quando o veículo se aproximou, os ocupantes dispararam contra os policiais e tentaram furar o bloqueio. Na troca de tiros, dois supostos sequestradores morreram e os outros dois foram presos. Três armas que estavam com os bandidos foram apreendidas. O empresário foi atingido por um tiro de raspão. Levado ao Hospital Regional de Sorocaba, ele foi medicado e já recebeu alta. Os acusados do sequestro foram levados para a Delegacia de Polícia de São Roque. Um deles tinha passagem por roubo e receptação.

Eles se negaram a dar detalhes da ação criminosa e não revelaram a identidade dos cúmplices mortos, que estavam sem documentos. Os suspeitos serão ouvidos nesta sexta-feira e devem ser transferidos, na segunda-feira (29) para uma unidade prisional da região. A vítima também será ouvida nesta sexta-feira na delegacia de São Roque. Os corpos dos supostos sequestradores mortos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba e, até o final da tarde, não tinham sido identificados.

Mais conteúdo sobre:
sorocabatiroteiopmviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.