Luiz Fernando Toledo/Estadão
Luiz Fernando Toledo/Estadão

Polícia localiza mulher e criança dadas como mortas em incêndio no Brás

Uma dona de casa de 31 anos e a filha dela, de 4, estavam desde segunda-feira na casa de um homem na Sé

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

23 Novembro 2016 | 15h59

SÃO PAULO - A Polícia Civil localizou a dona de casa Rosana da Silva Ferreira, de 31 anos, e sua filha Larissa, de 4 anos, que já estavam sendo consideradas mortas pelo incêndio que atingiu um imóvel invadido no Brás, na região central de São Paulo.

O Corpo de Bombeiros fazia buscas por elas desde o inicio da manhã e os moradores diziam que a família tinha morrido. Mas Rosana escapou do acidente - estava desde segunda na casa de um companheiro, que mora na Sé, região central da cidade.

A mulher tentou, sem sucesso, buscar seus pertences no imóvel, onde está há quatro anos, mas disse que perdeu tudo. "Agora estou sem nada". Ela disse que morava em um box na invasão e que só pagava o valor da energia elétrica que gastava, com o auxílio do programa Bolsa Família. Rosana está desempregada. 

O quarto de Rosana tinha só uma cama improvisada com caixotes de madeira, roupas, uma televisão e um fogão. Mas era tudo que tinha até então. "Hoje vou dormir na casa do meu companheiro, mas depois não sei o que fazer", disse. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.