Polícia investiga se sócios mortos no Rio estavam envolvidos com jogo clandestino

A Polícia Civil investiga se a empresária paulista Mônica Petti e seu sócio em uma empresa de informática, Fernando Marcionílio dos Anjos, assassinados no Rio, no dia 5, tinham ligação com jogos clandestinos e máfias de caça-níqueis. A informação foi divulgada ontem pelo SPTV, da TV Globo. Imagens divulgadas pela polícia mostram ambos chegando ao Aeroporto de Congonhas no dia 5, por volta das 10h. Eles desembarcaram no Aeroporto Santos Dumont por volta do meio-dia e desapareceram. O taxista que levou os sócios até o Jockey Club depôs na sexta-feira e pouco ajudou nas investigações, que agora vão ficar a cargo da Delegacia de Crimes Financeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.