Polícia investiga se morte de traficante em São Gonçalo foi 'queima de arquivo'

Um dos gerentes do tráfico do Morro da Coruja, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, flagrado em negociação de propina com policiais militares, foi morto dois dias antes da Operação Dezembro Negro, que prendeu o comandante do 7.º Batalhão de Polícia Militar, o ex-árbitro de futebol Djalma Beltrami (foto), e 10 policiais do Grupamento de Ações Táticas.

O Estado de S.Paulo

21 Dezembro 2011 | 03h05

A Polícia Civil vai investigar se a morte de Rafael Rosa Guimarães, conhecido como Mexicano ou Chacal, em troca de tiros com a PM, foi "queima de arquivo", pois ele seria testemunha da negociata.

Segundo a PM, na sexta-feira à tarde Beltrami ordenou uma ação no Morro da Coruja, quando o traficante foi morto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.