Reprodução
Reprodução

Polícia investiga morte de escocês no interior de São Paulo

George Renwik, de 82 anos, morava em Brotas; corpo foi encontrado nesta quarta-feira, 24, em um canavial em Dois Córregos

Rene Moreira, Especial para O Estado

25 de setembro de 2014 | 13h40

FRANCA - A Polícia Civil investiga a morte do escocês George Renwik, de 82 anos, que morava em Brotas, no interior de São Paulo, e estava desaparecido de sua casa há quatro dias. Seu corpo foi localizado na tarde desta quarta-feira, 24, em um canavial em Dois Córregos, a 40 quilômetros de onde morava. Policiais contaram que ele tinha sinais de violência e uma perfuração no pescoço.

Renwik, mais conhecido por "San", residia no interior paulista há pouco mais de dez anos e não falava uma palavra em português. Estava lúcido, bem de saúde e saiu de casa em seu veículo Santana que foi localizado um dia antes do corpo. Familiares chegaram a divulgar fotos na internet para tentar encontrá-lo logo após o desaparecimento.

Um rapaz de 22 anos foi preso após ter sido visto dirigindo o carro da vítima. Ele nega qualquer envolvimento no caso, mas policiais trabalham com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte). O corpo estava com os documentos e um aparelho inalador ao lado - usado por quem trata de asma.

Uma calça achada dentro do carro do escocês ajudou na localização do principal suspeito pelo crime. O acusado levou o rádio do veículo e teria  esquecido a peça de roupa em seu interior antes de fugir. Ele teve a prisão preventiva decretada e foi levado para a cadeira de Rio Claro, também no interior.

O corpo de George Renwik passou por exames no Instituto Médico Legal (IML) e será cremado nesta quinta-feira, 25. A polícia ainda investiga o caso e a denúncia de que uma pessoa teria tentado descontar um cheque no nome da vítima em um supermercado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.