Polícia investiga morte de cão por maus-tratos no interior de SP

'Alguém o agrediu a pauladas e jogou um líquido quente', diz representante de associação protetora

Chico Siqueira - Especial para o Estado,

19 Março 2013 | 16h56

ARAÇATUBA - A Polícia Civil de Votuporanga abriu inquérito para apurar as circunstâncias e autoria da morte do cachorrinho poodle, Carrapicho, que foi encontrado por sua dona agonizando na última sexta-feira e morreu, possivelmente, após ser espancado e queimado por óleo fervente despejado em seu corpo. Na segunda-feira, a Associação Protetora dos Animais de Votuporanga, registrou Boletim de Ocorrência para a polícia apurar o caso, mas até agora a polícia não identificou nenhum suspeito das agressões ao animal.

A dona do animal, Maria da Costa, disse que estava internada e quando voltou do hospital na sexta-feira encontrou o cão desmaiado e com feridas pelo corpo, acionou uma equipe de Saúde da Prefeitura, o animal foi atendido por um veterinário, mas não resistiu. Maria disse que decidiu adotar o animal depois de encontrá-lo na rua e passou a chamá-lo de Carrapicho. "Ele era brincalhão, era meu companheiro; não consigo imaginar como alguém pôde fazer isso com animalzinho indefeso como ele", disse.

Segundo a Associação Protetora dos Animais de Votuporanga, os ferimentos indicam que o cãozinho foi vítima de maus-tratos. "Alguém o agrediu a pauladas e jogou um líquido quente, possivelmente óleo fervente, sobre o animal", disse o presidente da associação Leonardo Brigagão. As denúncias de maus-tratos a animais são comuns em Votuporanga. Segundo a associação, cerca de 300 denúncias de maus-tratos contra animais foram registradas de janeiro a março deste ano.

Mais conteúdo sobre:
Cão cachorro violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.