JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Polícia investiga furto de combustível que abastecia Aeroporto de Guarulhos

Ação provocou a interrupção temporária no abastecimento da aviação; dois locais foram encontrados com mangueiras de alta pressão e um caminhão com 20 mil litros de querosene

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

28 Fevereiro 2018 | 10h35

SÃO PAULO - A Polícia Civil está investigando o furto de combustível em duto da Transpetro que prejudicou o abastecimento de aviões do Aeroporto Internacional de Guarulhos na manhã do último domingo, 25. A perícia foi acionada para os locais de onde a ação era realizada e o caso foi registrado como furto qualificado no 4º Distrito Policial de Guarulhos.

A empresa de distribuição informou que constatou um furto de combustível em oleoduto no município de Guarulhos e que a intervenção causou interrupção temporária no abastecimento da aviação.

+ Ladrões tentam furtar duto de combustível e causam vazamento de gás na zona leste de SP

O duto voltou a operar ainda na manhã de domingo e o abastecimento do aeroporto foi restabelecido. Segundo a companhia, não houve vazamento.

De acordo com o boletim de ocorrência, o duto foi furtado por volta de 0h50 do domingo. Após procedimentos técnicos realizados pela Transpetro, foram detectados dois locais do furto.

+ ESPECIAL: A história do furto ao Banco Central em Fortaleza

O primeiro era um galpão com escavações na Estrada Velha Guarulhos São Miguel. No local, a Polícia Militar encontrou 20 metros de mangueira hidráulica de alta pressão. O segundo lugar era uma casa na Rua Abadia, no Jardim das Nações, onde também foram encontradas escavações e um caminhão tanque com 20 mil litros de querosene de aviação. O veículo foi entregue para a empresa.

Segundo a companhia, o furto não comprometeu o abastecimento do aeroporto na segunda-feira, 26. Em nota a companhia disse que tem sido vítima de ações criminosas em seus dutos. Em dezembro do ano passado, a polícia prendeu um casal ligado a um esquema de furto de combustível no ABC Paulista.

O diretor de operações do aeroporto chegou a enviar uma mensagem às companhias aéreas orientando para que as aeronaves fossem abastecidas na capacidade máxima na origem para serem o mínimo possível abastecidas em Guarulhos, informou ao Estado a assessoria de imprensa do GRU Airport nesta quarta-feira, 28. O recado (não oficial) era para um possível plano de contingência, que não foi preciso ser acionado. Para o aeroporto, ocorria um vazamento do duto e, depois, a Transpetro identificou o furto.

A assessoria informou que não houve atrasos em voos devido ao furto. Na segunda-feira, ocorreu uma breve interrupção no abastecimento fornecido por outra distribuidora, a Raízen, que parou para manutenções. Em nota, o GRU Airport  informou que esse problema resultou em 29 voos atrasados, sendo oito domésticos e 21 internacionais, e quatro cancelados. "As duas ocorrências não possuem qualquer tipo de relação uma com a outra", disse.

A Transpetro informou que "atua constantemente no desenvolvimento de tecnologias de monitoramento, colabora com as investigações das autoridades e tem como maior preocupação a segurança das famílias, pois intervenções criminosas nos dutos podem trazer riscos para a comunidade".

+ Polícia descobre túnel de ladrões que levaria a cofre do Banco do Brasil

A empresa disponibiliza o telefone 168 para o caso de moradores identificarem qualquer movimentação suspeita na faixa de dutos ou em terrenos próximos. A ligação é gratuita e o telefone funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.