Polícia investiga denúncia de estupro coletivo no interior de São Paulo

Mulher de 22 anos estava em um bar quando foi levada por quatro homens para um motel; agressões foram filmadas com um celular

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

08 Agosto 2016 | 16h12

SOROCABA - Uma vendedora de 22 anos denunciou à Polícia Civil ter sido vítima de estupro coletivo, na madrugada de domingo, 7, em Penápolis, interior de São Paulo. Ela contou ter sido abordada em um bar da cidade e colocada à força em um carro por quatro rapazes. Levada a um motel, na rodovia Assis Chateaubriand, ela foi obrigada a manter relações sexuais como todos eles. Os jovens usaram os celulares para filmar a violência sexual. A polícia já identificou os suspeitos, mas eles não tinham sido ouvidos até a tarde desta segunda-feira, 8.

Conforme a denúncia, a jovem disse que estava com uma amiga no bar quando cinco rapazes as abordaram. Enquanto um deles conversava com a amiga, os outros a levaram para fora e a obrigaram a entrar em um carro. Ela conta que estava embriagada e não conseguiu reagir. Os rapazes alegaram que apenas um deles ficaria com ela, mas todos entraram no quarto do motel. Segundo ela, os quatro a estupraram e gravaram as cenas com um celular.

 

 

Duas horas depois, eles a deixaram na casa de um amigo, onde ela dormiu. De manhã, a vendedora foi a pé até a casa dos pais e relatou o ocorrido. A Polícia Militar localizou a casa onde ela passara a noite e ouviu o amigo dos suspeitos, arrolado como testemunha. A jovem passou por exames no Instituto Médico Legal (IML). A Polícia Civil aguarda o laudo para o possível indiciamento dos suspeitos pelo crime.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.