Polícia identifica dois suspeitos de matar boliviano na zona norte

O costureiro Edgar Javier Chucamani Chiri, de 35, foi morto com um tiro no rosto durante um assalto no Jaçanã, no dia 28 de setembro

O Estado de S. Paulo

01 Dezembro 2014 | 09h20

SÃO PAULO - A Polícia Civil indiciou dois suspeitos de envolvimento no latrocínio de um costureiro boliviano, morto na zona norte da capital paulista há dois meses. Segundo o Departamento Estadual de Investigações (Deic), o garçom Diego Fernandes da Silva, de 20 anos, e o feirante Isaias Luiz Nogueira de Almeida, de 18, foram identificados como autores do assassinato, mas já haviam sido presos anteriormente por roubo.

Os dois teriam confessado o crime, afirma o Deic. Também segundo a Polícia Civil, Diego Silva tem passagem pela Fundação Casa por tráfico de drogas e já havia sido preso por tentativa de roubo, tráfico e porte de arma.

Policiais da Delegacia de Investigações sobre Roubo e Latrocínio do Deic, responsáveis por investigar o caso, ainda procuram um terceiro envolvido, um homem conhecido como Marcos Neguinho. As identificações foram feitas com base em depoimentos, cruzamentos de informações e levantamento do perfil de suspeitos de roubo na região.

O crime aconteceu no dia 28 de setembro, no Jaçanã, zona norte de São Paulo. O costureiro boliviano Edgar Javier Chucamani Chiri, de 35 anos, foi morto com um tiro no rosto durante um assalto no cruzamento das Ruas Major Baratta e Carlos Malcher. Ele estava com um colega, Juan Carlos Manriquez Chambidgar, de 27, que também foi ferido por um disparo na perna esquerda.

Das vítimas, os assaltantes levaram dinheiro e celulares. Mesmo sem ter reagido ao assalto, Chiri acabou baleado. Os assaltantes fugiram em um Volkswagen Fox que, de acordo com a Polícia Civil, pertencia à mãe de um dos criminosos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.