Polícia Federal prende 32 por tráfico de drogas em Cumbica

Entre os presos estão quatro policiais civis, funcionários de companhias aéreas, da Infraero e da Receita Federal

Solange Spigliatti e Vitor Hugo Brandalise, estadao.com.br e O Estado de S. Paulo

10 Março 2009 | 11h43

Quatro policiais civis, dez funcionários de empresas aéreas, uma auditora da Receita Federal e pelo menos um da Infraero foram presos por tráfico de drogas no Aeroporto de Cumbica. As prisões foram feitas nesta terça-feira, 10, durante a Operação Carga Pesada da Polícia Federal. Os 180 agentes da PF prenderam 32 pessoas e três ainda são buscadas. A maioria das prisões foi feita em São Paulo, mas também há pessoas da quadrilha nas cidades de Ponta Porã e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.   Veja também: Droga entrava em Cumbica em carros de empresa de segurança   A quadrilha conseguia colocar malas cheias de drogas nos aviões sem passar pelo sistema de segurança do Aeroporto de Cumbica. As malas não passavam pelo sistema de raio X e eram colocadas direto nos carrinhos que levam as bagagens para os aviões.   Os líderes da quadrilha, segundo a PF, são nigerianos. Outras duas pessoas foram detidas em Mato Grosso do Sul. Ali, os integrantes aliciavam pessoas para transportar a droga e servir de 'mulas' no esquema de tráfico internacional.   As investigações tiveram início em 2007 e no decorrer do processo investigatório foram presas 26 pessoas, entre elas, servidores públicos e policiais, tendo sido apreendidos mais de 540 kg de cocaína no Brasil e no Exterior.   A quadrilha possuía uma ampla rede de influência nos aeroportos, principalmente no Aeroporto de Cumbica, onde obtinha facilidades no envio do entorpecente para países da África e Europa, especialmente Inglaterra, Holanda, Portugal e África do Sul.   Texto ampliado às 13h32 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.