Polícia faz perícia em escola onde menino foi baleado

Miguel Cestari Ricci dos Santos morreu ontem ao ser atingido dentro da escola em Embu

Julia Baptista, Estadão.com.br

30 de setembro de 2010 | 11h38

SÃO PAULO - A Polícia Civil realizou na madrugada desta quinta-feira, 30, uma perícia na Escola Adventista de Embu das Artes, em Embu, região metropolitana de São Paulo, onde um menino de 9 anos morreu baleado na tarde de ontem. A Polícia Civil, no entanto, não confirmou a informação de que a escola havia mudado a cena do crime.

 

Por meio de sua assessoria de imprensa, a Escola disse que as aulas estarão suspensas até segunda-feira, quando retomam as atividades normais. O local ficará à disposição do Instituto de Criminalística (IC), que realiza a perícia. Em nota,  a escola afirmou que "está colaborando em todos os sentidos com as autoridades que estão trabalhando no caso. Esperamos que os fatos sejam elucidados o mais rápido possível".

 

O estudante Miguel Cestari Ricci dos Santos era aluno da 4ª série. As circunstâncias em que ele foi ferido são um mistério para a polícia. A principal suspeita é de tiro acidental, pois Miguel teria dito que um amigo levaria para ele bala e revólver. A arma não foi achada.

 

A principal hipótese da polícia, de disparo acidental, ganhou força com a informação recebida pelo padrinho de Miguel, o professor de Educação Física Hélvio Eduardo Paiva, de 43 anos. Ele soube que um garoto teria retirado uma arma da bolsa e exibido para o afilhado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.