Polícia estoura laboratório de falsificação de perfumes na zona norte

Entre algumas marcas falsificadas estão Ferrari, Kenzo e Azzaro; segundo policiais, perfumes tinha como destino a ferinha da madrugada na rua 25 de março, no centro de São Paulo

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

24 Fevereiro 2011 | 04h55

SÃO PAULO - Uma denúncia anônima levou policiais civis do 19º Distrito Policial, da Vila Maria, zona norte da capital paulista, por volta das 20 horas, a estourar um laboratório de falsificação de perfumes de marcas famosas montado na edícula de uma residência da rua Soldado Gentil Guimarães, à margem da rodovia Presidente Dutra, no Parque Novo Mundo.

 

No local uma mulher, que seria moradora da casa e participante do esquema criminoso, foi presa pelos policiais, que encontraram no imóvel pelo menos 30 barris, de 50 litros cada, com o perfume já preparado; dezenas de vidros vazios, uma prateleira com muitos perfumes já prontos para a venda, uma prensa para fixar a válvula de spray nos frascos, e outros materiais utilizados na falsificação.

 

Entre algumas marcas falsificadas no laboratório estão Ferrari, Kenzo e Azzaro. Segundo os policiais, os perfumes tinham como destino a feirinha da madrugada de ambulantes que trabalham na região da rua 25 de Março, no centro de São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Perfume, falsificação, Vila Maria

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.