Polícia estoura desmanche com isolamento acústico

Madeira e isopor impediam que os vizinhos escutassem o barulho dos carros sendo desmontados

Andressa Zanandrea, Jornal da Tarde

21 de maio de 2008 | 10h22

Um desmanche de veículos, com espaço com isolamento acústico, duas câmeras de segurança e saída de emergência, foi estourado na noite de terça-feira, 20, por agentes da Delegacia de Repressão a Fraude Contra Seguros do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), em Ermelino Matarazzo, Zona Leste. O local foi descoberto após 15 dias de investigação. Na terça-feira, policiais ficaram de campana no local desde as 5 horas e detiveram um suspeito no começo da noite. No galpão, na Rua Abel Tavares, havia dois carros inteiros, que tinham sido furtados na segunda-feira: um Corsa prata, na Lapa, e um Gol cinza, no Brooklin. Havia também peças de dez carros, entre eles modelos Meriva, Palio e Uno. Um furgão, usado para o transporte das peças, também foi encontrado dentro do imóvel. Não há queixa de furto ou roubo do veículo. O movimento da rua era todo monitorado a partir de duas câmeras, que ficavam na porta do galpão. As imagens eram exibidas em uma televisão de 29 polegadas. Dentro do galpão havia, ainda, um espaço com isolamento acústico, com placas grossas de isopor e de madeira compensada, de maneira que os vizinhos não ouvissem o barulho dos carros sendo desmontados. As janelas do imóvel também eram revestidas.  No espaço com "tratamento acústico", havia uma porta, que saía em um quintal, onde havia uma escada de madeira, que dava acesso a lajes de outras casas. Segundo a polícia, dois ou três homens fugiram pela "saída de emergência". Apenas um foi detido: o mecânico Ricardo Almeida Izidorio, de 21 anos, que responderá por receptação.

Tudo o que sabemos sobre:
desmanche

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.