Polícia estoura bingo clandestino no Bom Retiro

Casa funcionava no térreo e no mezanino de imóvel na Rua Guarani; dinheiro e máquinas foram apreendidos

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

12 de novembro de 2007 | 06h31

Um bingo que funcionava havia pouco mais de um mês no Bom Retiro, na zona central de São Paulo, foi fechado na madrugada de segunda-feira, 12, pela Polícia Civil. Após denúncia anônima, um policial foi até o local. À paisana, identificou-se como jogador. "Ele constatou que o bingo estava funcionando e, depois, entramos", disse o delegado Luiz Guerra. Quando os policiais chegaram ao bingo, havia pelo menos 15 jogadores, dos quais apenas três homens. Também estavam lá dois funcionários e o dono do estabelecimento. Das 44 máquinas apreendidas, 31 estavam em funcionamento.  A casa funcionava no térreo e no mezanino de um imóvel na Rua Guarani. O movimento era monitorado por meio de duas câmeras de vigilância. No prédio de dois andares - onde há residências -, reformado recentemente, a porta de metal ficava constantemente fechada. Atrás dela, confortáveis sofás de veludo preto recepcionavam quem estava a fim de fazer algumas apostas.  Foram apreendidos R$ 2,1 mil de apostas no bingo, que, assim como as máquinas, foram levados ao Distrito Policial. Jogadores, funcionários e o dono do bingo foram levados à delegacia e dispensados em seguida.

Tudo o que sabemos sobre:
bingoSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.