Polícia entra em alerta depois de invasão do Bope

PM recebeu informações de que traficantes fariam ataques em represália[br]pela morte de 8 pessoas na quarta-feira

Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2011 | 00h00

A Polícia Militar do Rio entrou ontem em estado de atenção após informações do Setor de Inteligência de que traficantes da facção criminosa Comando Vermelho promoveriam ataques contra policiais militares e civis. O motivo seria a morte de oito bandidos em uma operação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), na madrugada de quinta-feira, no Morro do Engenho, zona norte da cidade.

A orientação é para que PMs circulem em duplas e os policiais civis fiquem atentos nas delegacias. "Inicialmente, o estado de atenção será mantido até segunda-feira", disse o comandante do Estado-maior da PM, coronel Álvaro Garcia.

O porta-voz da PM, coronel Ibis Pereira, ressaltou que não há motivo para pânico. "Trata-se de uma medida preventiva interna para que nossos policiais redobrem a atenção. O suposto ataque contra policiais era para ter ocorrido na madrugada de sexta-feira e nada foi registrado", afirmou.

A operação do Bope que matou oito traficantes começou na quarta-feira. A missão era prender traficantes do Morro da Mangueira, ocupado pela polícia na semana passada, que estariam refugiados no local. Segundo o Bope, todos os mortos eram bandidos.

Prisão. Ontem, a PM fez uma operação na Favela Gogó da Ema, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, e prendeu Leon Rodrigues Cantrick, de 22 anos, conhecido como Scooby Doo, traficante do Morro do São Carlos, no Estácio, zona norte, hoje ocupada pela Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Com o preso, a polícia apreendeu um fuzil, uma pistola, uma granada, munições e drogas (maconha, crack e cocaína).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.