Leonardo Soares/AE
Leonardo Soares/AE

Polícia encontra novos símbolos nazistas em escola em São Paulo

Muro pichado com suástica e frase racista tinha números referentes a grupo; secretário diz que colégio é 'exemplo'

William Cardoso e Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2011 | 22h03

SÃO PAULO - A Polícia Civil começou nesta terça-feira a investigar a pichação racista no muro da Escola Municipal de Ensino Infantil Guia Lopes, no Limão, zona norte da capital. O caso foi registrado como injúria racial no 40.ª DP (Vila Santa Maria). A direção da escola acredita que a frase "vamos cuidar do futuro de nossas crianças brancas", ao lado de suásticas, foi uma reação ao projeto implementado no início do ano, que valoriza a igualdade racial.

Além de suásticas, um detalhe chamou a atenção de peritos que compareceram ontem ao local. Atrás de um caminhão-tanque, no mesmo muro, havia o número "14", alusivo a slogans do americano David Lane, escritor e fundador de um grupo neonazista conhecido como A Ordem, que defendia a supremacia branca. Ele morreu em 2007, em uma prisão nos Estados Unidos.

Ao lado do "14", estava pichado também o número "88", usado por grupos neonazistas como forma de fazer a saudação "heil Hitler". O oito representa o "H", oitava letra do alfabeto.

Para o delegado Antonio de Padua de Souza, do 40.º DP, o caso pode ter relação com alguma pessoa vinculada à escola e que esteja descontente com o projeto pedagógico de igualdade racial. Mesmo assim, ele pretende solicitar a ajuda da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi). "Às vezes, a delegacia especializada tem fatos semelhantes registrados em outras áreas."

O secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, disse ontem que a escola é um exemplo no uso das diretrizes curriculares étnico-raciais. "A melhor forma de combater o ódio é com amor. E a melhor forma de combater o ódio é mostrar às pessoas que somos diferentes e que temos de conviver com isso. É isso que a escola está fazendo."

Segundo a diretora da escola, Cibele Racy, alguns pais a procuraram para se informar sobre o incidente. A Emei Guia Lopes atende crianças entre 4 e 6 anos de idade. A segurança no local será reforçada.

Como a perícia já foi feita, o muro deverá ser pintado até a sexta-feira. A direção vai permitir que as próprias crianças façam desenhos livres sobre a frase e os símbolos nazistas.

Mais conteúdo sobre:
racismo escola suástica nazismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.