Polícia encontra comida estragada em mais um hotel de luxo em São Paulo

InterContinental diz que material não estava liberado para uso; chef pode ser libertado se pagar fiança

Priscila Trindade, estadão.com.br

08 Novembro 2011 | 19h52

SÃO PAULO - Foi preso em flagrante nesta terça-feira, 8, o chef do Hotel InterContinental, localizado na altura na Alameda Santos, na região dos Jardins, em São Paulo. No local foram encontrados alimentos sem identificação de origem e com validade vencida na geladeira do açougue da cozinha e em um depósito.

O chef, de 41 anos, foi levado para a 2ª Delegacia de Saúde Pública do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC). O funcionário poderá responder ao processo em liberdade após pagar fiança de R$ 2.725,00.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram apreendidos vinte e cinco bandejas de endívia, um pacote de carne de siri, uma peça aberta de queijo tipo gruyère sem informações de origem e registro nos órgãos competentes, três peças de salsichão, uma peça de contra filé, um pacote de frutos do mar, uma peça de presunto, todos vencidos. Os alimentos serão encaminhados à perícia.

Em nota, o Intercontinental São Paulo esclareceu que nenhum dos alimentos estava em sua cozinha ou disponível para manuseio pela equipe da área. Segundo a empresa, antes de serem encaminhados para manuseio é realizada uma última verificação da validade para utilização ou descarte.

"O hotel possui um rígido controle do armazenamento, com vistorias diárias, quinzenais e mensais que contemplam principalmente a verificação da data de validade dos produtos, feitas por uma equipe especializada de nutricionistas." O hotel disse que revisará os procedimentos internos para identificar áreas de melhorias.

Denúncia. Ontem, o chef e a nutricionista do Hotel Grand Hyatt, no Brooklyn, zona sul de São Paulo, foram detidos depois que a polícia encontrou mais de 100 quilos de alimentos vencidos em câmaras frias e também na cozinha.

A inspeção foi realizada após denúncia anônima. Foram apreendidos produtos como carnes, peixes, palmitos, biscoitos e chocolates fora do prazo de consumo. Alguns alimentos estavam vencidos desde 2008.

O chef e a nutricionista pagaram fiança e vão responder ao processo em liberdade.

 

Atualizado às 20h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.