Polícia do Rio faz incursão 'por tempo indeterminado' em 18 favelas após ataques

Após mais um dia violento com pelo menos quatro carros incendiados, uma cabine e duas viaturas da PM metralhadas, além de um atentado frustrado em Copacabana (zona sul), a polícia do Rio realizou operações em 18 favelas dominadas pelo Comando Vermelho (CV), prendeu 11 suspeitos e matou um suposto traficante. Na Vila Cruzeiro, um homem não identificado também morreu em troca de tiros.

Pedro Dantas / RIO, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2010 | 00h00

Um fuzil, uma pistola .45, armas e drogas foram apreendidos na resposta do governo do Estado aos ataques que incendiaram nove carros desde o domingo. Na Vila Cruzeiro e na Favela da Merendiba, no Complexo da Penha, traficantes atiraram contra um comboio do 16.º Batalhão de Polícia Militar de Olaria. O tiroteio durou meia hora e apavorou os moradores. Sete mil crianças ficaram sem aulas.

Pela manhã, em reação aos ataques, a polícia invadiu as favelas. "E as operações não têm prazo para terminar", disse o comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte. A PM informou que, dos 11 presos ontem, oito teriam ligação direta com os ataques.

Desde sábado, o Disque-Denúncia recebeu 16 ligações sobre supostos atentados. A polícia entrou em alerta contra ações criminosas no início da noite de anteontem. Em Copacabana, por volta de 1h30, um segurança flagrou Thiago da Costa Garcia, de 24 anos, e Renan Fortunato de Couto, de 19, acompanhados por dois menores, quando eles colocavam uma bomba embaixo de um carro estacionado. Thiago e os dois menores foram presos na rua. Guarnição da PM foi ao Morro do Cantagalo, ocupado por Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), e prendeu Renan.

O atentado frustrado ocorreu a poucos metros de vários hotéis e nas proximidades da região de bares e restaurantes conhecida como Baixo Copacabana e frequentada por turistas. "Tínhamos a informação de alguma ação criminosa. A UPP possibilitou nossa entrada na favela de madrugada ", disse o delegado assistente da 12.ª DP (Copacabana), Bruno Gilaberte.

Fogo. Na noite de anteontem, apesar do alerta da polícia, carros estacionados foram incendiados na Via Dutra, no Estácio e na Tijuca, na zona norte. Na Avenida D. Helder Câmara, em Del Castilho, cabine da PM foi metralhada com mais de 50 tiros. Ninguém ficou ferido.

No fim da tarde de ontem, mesmo com operações policiais em vários bairros, dois carros do 16.º Batalhão da PM foram atingidos por tiros na Penha, zona norte. Não houve feridos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.