Polícia Civil
Polícia Civil

Polícia divulga retrato falado de homem que tentou matar analista de sistemas no Morumbi

Segundo o Hospital Israelita Albert Einstein, Rogério dos Santos Ferreira Júnior permanece internado e o estado de saúde é crítico

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2018 | 15h48

SÃO PAULO – A polícia elaborou o retrato falado do homem que tentou matar Rogério dos Santos Ferreira Júnior, de 36 anos, na quarta-feira, 22. O analista de sistemas foi atingido por vários disparos de arma de fogo quando parou com o carro em um semáforo na região do Morumbi, na zona sul de São Paulo.

O retrato falado foi feito com base no depoimento de testemunhas e ficou pronto na noite de quinta-feira, 22. Segundo as descrições, o homem tem a cabeça raspada e cavanhaque.

Imagens de câmeras de segurança que ajudam nas investigações reforçam a hipótese de tentativa de execução.

A vítima foi abordada no cruzamento da Rua David Ben Gurion com a Rua José de Jesus por volta das 21h40 de quarta-feira. Ao menos 10 tiros foram disparados. O motorista foi atingido na região do tórax e rosto.

Um dos bandidos teria se escondido em um mato alto perto do cruzamento do semáforo. Outro suspeito chegou de moto e também atirou contra o veículo do motorista. Ambos conseguiram fugir do local do crime.

Ele foi socorrido pela Polícia Militar (PM) e levado para o pronto-socorro do Hospital Israelita Albert Einstein. Segundo o hospital, Júnior permanece internado e o estado de saúde ainda é crítico.

A Polícia Civil informa que o 89º DP (Morumbi) instaurou inquérito policial para investigar o caso. 

A Polícia Militar acrescenta que o policiamento na região contribuiu para a redução de 12,5% nos roubos em dezembro, na comparação com o mesmo período do ano anterior. A PM também requisitou aos órgãos municipais medidas que auxiliem no trabalho preventivo, tais como poda de árvores e melhorias na iluminação e no tráfego.

Além disso, são realizadas operações com pontos de estacionamento em locais estratégicos em horários de maior incidência criminal, além do patrulhamento ostensivo e preventivo já realizado por meio dos programas de policiamento como Rocam, Radiopatrulhamento, Polícia Comunitária, Força Tática.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.