Polícia detém universitários por tráfico

Pelo menos 4 são alunos do Mackenzie, que fica próximo dos locais visados pela operação; traficantes foram filmados durante 30 dias

Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2010 | 00h00

Vinte jovens foram detidos no fim da tarde de ontem acusados de vender e usar drogas na frente de bares no cruzamento das Ruas Maria Borba e Doutor Cesário Mota, na Vila Buarque, região central. Ao menos quatro são alunos do Mackenzie, que fica perto do local da operação. A Polícia Civil diz que a esquina é frequentada por universitários de outras faculdades e que o consumo de maconha, cocaína e lança-perfume era liberado.

Apelidada de Operação Amsterdã, a investigação do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) começou há cerca de 30 dias. "Colocamos policiais circulando pelo bairro, observando o movimento dos jovens e filmando a ação deles", afirma Rodrigo Fukuoka, chefe dos investigadores do Garra.

Após constatar que o consumo de drogas era recorrente na frente dos bares, a polícia marcou um flagrante para as 15h de ontem. Quinze veículos do Garra com 50 policiais no total fizeram a abordagem. Cerca de 70 pessoas estavam na rua. Não houve resistência. "Mas eles reclamaram bastante", disse um investigador, sem se identificar. "Bati boca com um menino que disse: "Qual o problema de eu dar um pega?"", relatou o policial.

Vinte jovens, com idade entre 16 e 24 anos, foram levados para o Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), em Santana, na zona norte. Cinco deles foram indiciados por tráfico de drogas. "Já identificamos quem trazia a maior parte da droga. É um menor. Agora, estamos atrás do traficante que abastecia esse garoto", afirmou o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, supervisor do Garra.

Entre os acusados de tráfico há um aluno de Engenharia, um estudante do ensino médio do Mackenzie e um ex-aluno da instituição. Onze pessoas assinaram termos circunstanciados como usuários de drogas e foram liberadas - entre elas, dois alunos do Mackenzie. Um homem que era procurado pela Justiça por roubo foi preso. Uma quantidade não informada de maconha, crack, cocaína e lança-perfume foi apreendida.

Moradores e comerciantes afirmam que cenas de consumo de drogas no local são comuns, principalmente às sextas. "Acontecem confusões, brigas e há muita droga, principalmente maconha", disse um morador, que pediu para não ser identificado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.