Polícia detém suspeitos de matar guarda municipal e a mulher em Mairinque

Adolescente de 17 anos e seu irmão, de 20, foram pegos na segunda-feira; depoimento leva a crer que tratou-se de roubo comum, diz a polícia

Chico Siqueira, Especial para o Estado

13 de agosto de 2013 | 12h45

MAIRINQUE - A prisão de um jovem de 20 anos e a apreensão de seu irmão, um adolescente de 17 levou a Polícia Civil de Sorocaba a concluir que os assassinatos do subcomandante da Guarda Municipal de Mairinque, Laércio de Souza Lanes, de 48 anos, e da mulher dele, Lindalva Prado Lanes, de 38, não foram motivados por vingança, mas sim por roubo. Láercio e a mulher foram mortos dentro de casa, na noite de sexta-feira, 9, quando faziam a contabilidade da venda da casa onde moravam, no Jardim Vitória, periferia de Mairinque. O menor confessou a participação no crime.

A família tinha vendido a casa por R$ 200 mil para se mudar para um condomínio em Sorocaba. O filho do casal, de 10 anos, que presenciou o crime, foi baleado na cabeça e está internado em estado grave no Hospital Regional de Sorocaba.

O adolescente foi preso na noite segunda-feira, 12, pela Polícia Militar, após dar entrada no Pronto-Socorro de Mairinque com um tiro no braço direito. Segundo a polícia, ele confessou a participação no roubo à casa do guarda municipal e disse que o ferimento ocorreu devido a um tiro acidental, disparado de uma das armas roubadas no assalto. O tiro foi disparo pelo irmão do adolescente, de 20 anos, que também participou do assalto e foi preso na noite de segunda-feira.

Segundo a polícia, os irmãos eram vizinhos de Laércio, por isso ficaram sabendo da intenção da família Lanes de se mudar da cidade. Ainda de acordo com as investigações, outro adolescente, de 15 anos, participou do crime junto com outros três suspeitos, que também estão sendo procurados. A polícia acredita que os assaltantes atiraram no subcomandante, na mulher e no filho do casal depois de terem sido reconhecidos.

Numa das buscas, os policiais apreenderam, na casa de um dos suspeitos, um cartucho calibre 36, do mesmo tipo de arma usada no crime, um coldre da arma de Laércio Lanes e uma motocicleta com numeração de chassi raspada. O coldre foi reconhecido por um amigo do guarda municipal, mas nenhuma das armas roubadas foi localizada. O adolescente foi transferido para o Hospital Regional de Sorocaba, onde está internado sob escolta policial.

O delegado Seccional de Polícia de Sorocaba, Marcelo Carriel, responsável pelo caso, e a delegada de Mairinque, Fernanda Ueda, disseram nesta terça-feira, 13, que as investigações vão continuar e anunciaram uma coletiva para a próxima sexta-feira, quando deverão dar mais detalhes sobre as investigações.

Tudo o que sabemos sobre:
mairinqueguarda municipal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.