Polícia detém 39 flanelinhas e 1 cambista no entorno do estádio do Pacaembu

Todos os guardadores de carros acabaram liberados após serem fichados na delegacia

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

21 de junho de 2012 | 04h51

SÃO PAULO - Uma ação conjunta das polícias Militar e Civil, na noite de quarta-feira, 20, no entorno do estádio do Pacaembu, palco da partida entre Corinthians e Santos, a segunda das semifinais da Taça Libertadores, na zona oeste da capital, terminou com um saldo de 39 flanelinhas e um cambista detidos.

 

Ingressos falsos também foram apreendidos. O delegado Fernando Schmidt, do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), afirmou que a Polícia Civil começou a dar uma atenção especial para esse tipo de contravenção a pedido da própria população. Desde o maio, já foram 16 operações. Somente pelo DPPC, pelo menos 321 pessoas já foram detidas.

 

Na operação de ontem, os 39 flanelinhas foram detidos pelas polícias militar e civil. Todos foram liberados durante a madrugada. A ação dos flanelinhas é considerada exercício ilegal de profissão, pois, segundo o delegado, desde 1975 a função de guardador de carro em via pública é regulamentada por uma lei federal e aquele que não está cadastrado acaba cometendo uma contravenção, "crime" que resulta, horas depois, em liberação mediante pagamento de fiança ou não.

 

A Polícia Civil também prendeu um homem que estava vendendo ingresso falsificado na porta do estádio. Roberto Rodrigues da Rocha, de 39 anos, vai responder por estelionato e será transferido para um Centro de Detenção Provisória (CDP) da capital. Segundo a PM, nenhuma ocorrência greve foi registrada na saída do estádio do Pacaembu até as 4 horas desta quinta-feira. Houve apenas o registro de discussão entre torcedores em bares na região da Vila Madalena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.