Polícia de Taubaté chama o 'Batman'

Fantasiado, militar fará ações contra a violência

GERSON MONTEIRO , ESPECIAL PARA O ESTADO , TAUBATÉ, O Estado de S.Paulo

09 Março 2012 | 03h03

Depois de 30 anos de trabalho na Marinha, um militar aposentado vai dar vida ao vigilante e detetive mais conhecido das histórias em quadrinhos, o Batman. O combate à violência continuará sendo a missão do homem-morcego, que vai percorrer bairros violentos de Taubaté, no Vale do Paraíba, a 140 km de São Paulo, incentivando ações pela paz, para desestimular a violência juvenil.

Aos 50 anos, Andy Trevisan, como é conhecido no meio dos cosplayers - pessoas que se fantasiam de super-heróis e fazem encenações dos personagens -, é colecionador de histórias em quadrinhos e fascinado por teatro. Ele tem uma coleção de mais de 200 fantasias de super-heróis. Procurado pela PM para fazer um trabalho voluntário com crianças de bairros considerados violentos, o "Batman de Taubaté" não vê a hora de entrar em ação. "As ações ainda não estão definidas, mas estou pronto para ajudar."

Uma reunião de negociação entre o comando da PM e o cosplayer para definir o trabalho está prevista para acontecer hoje. A data do "primeiro combate" do homem-morcego é dia 17, no bairro Esplanada Santa Terezinha, na periferia da cidade. Lá, ele não terá o Robin como reforço, mas personagens do Sítio do Picapau Amarelo. E Batman não vê a hora de começar. "Sempre tive vontade de fazer uma ação social e nunca pude, por causa da carreira militar."

Um dos coordenadores do Movimento pela Paz no município e diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Fábio Duarte diz que o objetivo é fazer o resgate social dos menores. "Ações como essa chamam a atenção de crianças e adolescentes", ressalta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.