Polícia Civil
Polícia Civil

Polícia de SP apreende fuzis, munições e coletes e vê ligação com caso de Itajubá, em Minas

Equipamento foi encontrado em imóvel na capital paulista e pode ter sido usado em assalto no interior de Minas na última quinta-feira. Uma pessoa foi presa

Marcelo Godoy e Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2022 | 18h38

A Polícia Civil de São Paulo apreendeu na tarde deste sábado, 25, fuzis, munições e coletes balísticos em um imóvel na zona leste da capital paulista. Os investigadores acreditam que o material pode pertencer à quadrilha que atacou uma agência bancária em Itajubá, Minas Gerais, na madrugada da quinta-feira, 23. Uma pessoa foi presa. 

A polícia disse ter recebido a informação de que o armamento utilizado no caso estaria na cidade de São Paulo. Após acompanhamentos, os investigadores chegaram a um imóvel onde os equipamentos estariam guardados. No local, cujo endereço não foi revelado, foram encontrados três fuzis AK-47, uma espingarda calibre 12, munições de fuzil, pistolas com rajada e coletes balísticos. 

O suspeito preso estava realizando a guarda dos equipamentos. A equipe do 95º Distrito Policial (Heliópolis) disse seguir em diligências. O caso deverá ser alvo de investigação por meio de inquérito. 

Uma quadrilha armada com fuzis de grande impacto invadiu a região central de Itajubá, no interior de Minas Gerais, entre a noite de quarta-feira, 22, e o início da madrugada da quinta-feira, 23, incendiou carros, atacou o Batalhão da Polícia Militar e usou explosivos para assaltar uma agência da Caixa Econômica Federal. Ao menos cinco pessoas ficaram feridas – quatro policiais e um estudante –, mas não houve vítimas fatais. Um suspeito de atuar como batedor da quadrilha foi preso na oportunidade.

Tudo o que sabemos sobre:
Itajubá [MG]fuzil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.