Polícia de SP aborta suposto plano de sequestro de Datena

Jornalista anunciou ao vivo que foi avisado sobre pretensão dos bandidos. Apresentador e família terão de mudar hábitos

MARCELO GODOY, O Estado de S.Paulo

29 Março 2012 | 03h06

A Polícia Militar descobriu o que pode ser um plano para sequestrar o apresentador da Band José Luiz Datena. Os criminosos queriam pegá-lo entre as 20h30 e 22 horas de ontem, depois de ele apresentar o programa Brasil Urgente. Para tanto, preparavam uma emboscada na Rodovia Castelo Branco - Datena tem uma casa em Tamboré, na Grande São Paulo, e devia passar obrigatoriamente pela estrada.

Em seu programa, o apresentador agradeceu à polícia. "Se não fosse o trabalho dos policiais, eu teria sido sequestrado, pois todas as informações batiam." Datena também se dirigiu aos criminosos. "Se quiserem fazer isso, que façam comigo", disse.

Datena afirmou em seguida que perdeu muito dinheiro, por causa de erros cometidos em sua vida, e repetiu que não tinha "grana para pagar o resgate". Por fim, olhou para as câmeras e mandou um recado aos bandidos que o ameaçam. "Não mexam com minha família, porque todo mundo tem família, 'véio'."

Os policiais do Serviço Reservado da PM obtiveram o nome de dois dos supostos envolvidos no plano de sequestro - Wagner e Nélson. De acordo com as informações recolhidas durante a investigação, eles pretendiam usar uma motocicleta Suzuki preta e um carro Agile preto, com placas de Belém - roubado no dia 19.

Datena foi avisado do plano dos criminosos durante a manhã de ontem por um coronel da PM, que deixou um recado na caixa postal de seu telefone celular. O Estado procurou o Comando da Polícia Militar para falar sobre o caso, mas a polícia não se manifestou até as 23h de ontem.

Antes de comentar ao vivo o caso, Datena conversou com policiais civis. Com base na análise feita sobre as hipóteses, ele decidiu mudar seu hábitos. Seus familiares também foram informados sobre a descoberta feita pela PM de São Paulo e alteraram a rotina. Eles foram aconselhados pelos policiais civis a evitar trajetos conhecidos enquanto durar a investigação.

Buscas. Desde o meio da tarde de ontem, policiais civis e militares faziam buscas na região de Tamboré, na tentativa de localizar os veículos que seriam usados no sequestro. Também passaram a procurar as duas pessoas supostamente envolvidas no plano de sequestro. De acordo com as apurações preliminares, nenhuma delas é procurada ou é conhecida pela polícia - por isso, os investigadores não descartam a hipótese de que os criminosos estejam usando identidades falsas.

Motivo. A Polícia Civil não sabe ainda o que motivaria os sequestradores de Datena. Duas hipóteses, no entanto, foram levantadas pelos investigadores. A primeira é a de que os bandidos estejam atrás do dinheiro do resgate. A outra hipótese é a de que eles planejavam uma chantagem contra a Band, semelhante à que foi praticada por meio do sequestro do repórter Guilherme Portanova contra a TV Globo. Ocorrido no Brooklin, zona sul de São Paulo, em 2006, o crime foi uma ação de integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) para obrigar a maior emissora do País a exibir um vídeo com mensagens da facção criminosa - o que ocorreu. Somente depois da exibição das imagens o jornalista foi libertado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.