Polícia de Mogi prende 65 pessoas e assaltante de taxista no Alto Tietê

Policiais acreditam que Marcelo Syrio da Cruz esteja envolvido em até 15 ataques a táxis; também foram apreendidos 7 adolescentes

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

20 de março de 2015 | 09h18

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu 66 pessoas e apreendeu sete adolescentes nesta quinta-feira, 19, na região do Alto Tietê, em São Paulo. As prisões foram feitas em menos de 24 horas, durante a Operação Tolerância Zero. Os policiais também apreenderam quatro quilos de drogas e duas armas de fogo, além de cinco carros e dois caminhões roubados. Um dos presos era procurado por diversos ataques a taxistas na região.

A Polícia Civil acredita que Marcelo Syrio da Cruz, de 36 anos, esteja envolvido em até 15 assaltos à mão armada em táxis da região. Ele estava foragido da Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo, desde o início de janeiro e foi flagrado com drogas e um revólver que, segundo a Polícia Civil, era usado nos ataques. Até o momento, Cruz foi reconhecido por quatro vítimas.

Dos presos, 28 foram pegos em flagrante por tráfico de drogas. Os demais eram considerados foragidos e tiveram o mandado de prisão cumprido pelos policiais. "São pessoas extremamente perigosas, que vinham agindo de maneira audaciosa na região", afirmou o delegado Marcos Batalha, titular da Seccional de Mogi das Cruzes, que coordenou a operação.

Segundo afirma, parte dos presos se identificou como membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Além do combate ao crime organizado, a operação teve como objetivo inibir roubos e tráfico de drogas.

Ainda segundo a Polícia Civil, a maior parte dos presos era reincidente. A operação foi realizada nas cidades de Mogi das Cruzes, Suzano, Poá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Salesópolis, Biritiba Mirim e Guararema. As investigações duraram cerca de 30 dias e a ação policial foi supervisionada pelo diretor do Departamento de Polícia da Grande São Paulo (Demacro), Albano David Fernandes.

Tudo o que sabemos sobre:
ViolênciaMogi das CruzesSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.