Polícia Civil identifica três suspeitos de arrastão no Morumbi

Segundo SSP, operação conjunta com a PM tenta prender os supeitos nesta segunda-feira, 2; policiamento foi reforçado na região

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

02 Novembro 2015 | 12h44

SÃO PAULO - A Polícia Civil identificou três suspeitos de terem participado do arrastão na Rua Clementine Brenne, no Morumbi, na zona sul da capital paulista. Uma operação conjunta com a Polícia Militar nesta segunda-feira, 2, tenta encontrar os criminosos que assaltaram ao menos dez vítimas no último domingo, 1º, na região. Os helicópteros Águia, da PM, e Pelicano, da Civil, são usados na operação. Até o momento, ninguém foi preso.

A série de roubos aconteceu por volta das 17h e os criminosos abordaram pelo menos seis veículos. As vítimas tiveram carteiras e celulares roubados durante a ação dos bandidos. Três horas antes, outra pessoa havia sido assaltada a pé por dois homens armados na mesma rua, segundo informações da PM. Ainda não há confirmação se os casos estão relacionados.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP), confirma que os policiais do 89º Distrito Policial (Morumbi), delegacia responsável pelo caso, conseguiram identificar três suspeitos.

De acordo com a pasta, o policiamento da região foi reforçado com agentes da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), a tropa de elite da PM. Além deles, policiais civis do Grupo de Operações Especiais (GOE) e do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) também patrulham a região. 

Recorrência. Na semana passada, um suspeito foi morto a tiros por um policial civil durante um arrastão na Rua Doutor Flávio Américo Maurano, no Morumbi. O caso aconteceu na manhã de quarta-feira, 28.

Junto com outros sete comparsas, Fagner Lourenço dos Santos, de 19 anos, estaria de motocicleta abordando veículos que paravam no semáforo com a Avenida Morumbi, antes de ser surpreendido pelo investigador Guilherme da Silva Del Gaudio, de 26 anos, do GOE, que reagiu à tentativa de assalto.

Santos foi atingido por quatro disparos, dois no tórax e dois nas costas. Ele morreu no local. Os outros suspeitos conseguiram fugir. O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Mais conteúdo sobre:
Violência Morumbi São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.