Felipe Rau/ Estadão
Felipe Rau/ Estadão

Polícia Civil faz operação contra ladrões no centro de SP

Foram expedidos 36 mandados de prisão para ladrões de carteiras, dinheiros e celulares

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2018 | 08h45

SÃO PAULO - A Polícia Civil realiza na manhã desta quinta-feira, 19, uma operação contra ladrões de carteiras, dinheiro e celulares no centro de São Paulo. Foram expedidos 36 mandados de prisão, sendo 20 deles para mulheres, e 38 de busca e apreensão.

Entre 6h e 8h30 desta quinta-feira, 18 pessoas foram levadas para o 3º Distrito Policial de São Paulo, no centro da capital. Elas serão indiciadas por associação criminosa, receptação, furto e corrupção de menores.

O delegado da seccional Centro, Marco Antônio Paula, explica que após três meses de investigação, com estudo de antecedentes e registros de câmeras de segurança, a Polícia Civil fez uma conexão entre os 36 acusados. Há mandados de prisão também  em cidades da região metropolitana de São Paulo. A polícia diz que parte dos envolvidos morava fora da capital.

Acusados de associação criminosa, receptação, furto e corrupção de menores, os detidos também serão indiciados por organização criminosa. A pena do crime é de três a 8 anos. "Acho que vai dar para mantê-los longe do centro por muito tempo", afirma Paula.

Segundo o delegado, desde 2005 os acusados praticam furtos e roubos no centro da capital. "Eles foram presos incontáveis vezes. Alguns foram condenados até. Mas, como as penas eram pequenas, eles voltavam logo para as ruas. Eles vêm incomodando muitas pessoas faz muito tempo", afirma.

Os acusados serão encaminhados ao 77° Distrito Policial (Santa Cecília), onde permanecerão presos em caráter temporário por até 5 dias.

+++ Motorista que atropelou quinze pessoas em São Paulo é condenado a 32 anos de prisão

Segundo a Polícia, o grupo atuava furtando celulares e dinheiro nas regiões do Brás, Pari e Largo da Concórdia. As líderes da quadrilha eram mulheres. Uma delas seria Sara Nogueira Sampaio, de 23 anos, que foi detida nesta quinta-feira. Ela já foi condenada e presa, mas teria voltado a cometer delitos na região central. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.