Divulgação
Divulgação

Polícia Civil apreende 150 quilos de lidocaína em Campinas

Segundo o delegado, anestésico encontrado estava misturado com cocaína, que dá sensação ao usuário de que droga é pura

João Paulo Carvalho, estadão.com.br

05 de setembro de 2011 | 15h42

SÃO PAULO - Policiais Civis da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Campinas, apreenderam no último domingo 150 quilos de lidocaína, um produto usado como anestésico em algumas cirurgias e que, ao ser misturado à cocaína, dá ao usuário a impressão de que a droga possui alto grau de pureza.

Os policiais receberam uma denúncia afirmando que um taxista, de 42 anos, iria receber uma carga de lidocaína em sua casa, na rua Lourdes José da Silva Oliveira, no Jardim São Pedro de Viracopos. Durante dias, os investigadores monitoraram a residência do suspeito. Na manhã de domingo, por volta das 8 horas, um caminhão estacionou em frente ao local.

O taxista e outro motorista, de 39 anos, foram abordados. No caminhão havia 70 sacos com lidocaína e mais de 4 quilos de pasta base de cocaína.

As investigações apontavam que em outra casa, na rua 6, em Campituba, funcionava um laboratório de drogas, onde foi encontrado material para refino e preparação de drogas, como peneiras, balança de precisão, bacias e embalagens plásticas, além de 2,5 quilos de cocaína pronta para venda.

Segundo o delegado titular da Dise, Oswaldo Diez Junior, a lidocaína apreendida era misturada com a pasta base da cocaína, passando a sensação para o usuário de que a droga era muito pura - a substância anestesia boca e narinas. De acordo com Diez, as investigações indicam que a quadrilha revendia lidocaína para outras quadrilhas de todo o Estado.

O trio permanece detido na carceragem do 2º Distrito Policial de Campinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.