Polícia busca suspeitos pela morte de sindicalista em São Paulo

Diretor do Sindicato de Motoristas de Cobradores foi morto no fim de outubro, após receber ameaças

Bruno Lupion, Central de Notícias

15 Dezembro 2010 | 07h02

SÃO PAULO - A Polícia Civil iniciou na manhã desta quarta-feira, 15, uma operação para cumprir 21 mandados de busca e apreensão e de prisão contra suspeitos de envolvimento no assassinato do diretor de base do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo Sérgio Augusto Ramos, morto com cinco tiros no último dia 25 de outubro.

A delegada do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) responsável pelas investigações, Alexandra Comar Agostini, disse que cerca de 200 policiais foram mobilizados para cumprir os mandados em quatro cidades da região metropolitana: São Paulo, Mairiporã, Taboão da Serra e Santana de Parnaíba. O promotor Roberto Porto acompanhou a operação.

Ramos foi baleado às 5h30 por dois motoqueiros enquanto fazia panfletagem na frente da Viação Itaim Paulista (VIP), na Estrada do M''Boi Mirim, Jardim Ângela, zona sul da capital. Antes de ser morto, o sindicalista registrou dois boletins de ocorrência relatando supostas ameaças de morte que recebia de pessoas ligadas ao presidente do sindicato.

 

Ramos também havia denunciado ao Ministério Público Estadual esquema de desvio do subsídio pago pela Prefeitura referente ao plano de saúde dos trabalhadores.

Agostini disse que concederá entrevista coletiva na sede do DHPP na tarde desta quarta-feira, em horário ainda não definido, para comentar o resultado da operação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.