Polícia apura ameaça a cadeirante agredido por delegado no interior de SP

Advogado recebeu ligação o ameaçando de morte no fim de janeiro; policial acusado de agressão foi afastado

Marília Lopes, Central de Notícias

10 Fevereiro 2011 | 14h44

SÃO PAULO - A Corregedoria da Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar a ameaça de morte sofrida pelo advogado cadeirante Anatole Magalhães Macedo Morandini, que em janeiro foi agredido por um delegado após discutirem por uma vaga especial de estacionamento.

 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, Morandini fez uma denuncia sobre a ameaça de morte no dia 28 de janeiro. O delegado corregedor Antonio Alvaro Sá de Toledo é responsável pela investigação.

 

O cadeirante foi agredido pelo delegado or um delegado Damásio Marino em 17 de janeiro, em São José dos Campos, no interior de São Paulo. Os dois brigaram por causa de uma vaga pública de estacionamento especial para deficientes físicos. Durante a discussão, o delegado agrediu o cadeirante. Marino, que era titular do 6º Distrito Policial de São José dos Campos, foi afastado do cargo pela SSP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.