Polícia apresenta obras da Estação Pinacoteca recuperadas

'Mulheres na Janela', de Di Cavalcanti, e 'O Casal', de Lasar Segall, devem voltar para museu nesta quinta

da Redação, estadao.com.br

07 de agosto de 2008 | 18h08

A polícia apresentou na tarde desta quinta-feira, 7, as duas obras de artes roubadas da Estação Pinacoteca de São Paulo, que foram recuperadas na noite de quarta-feira, 6. Um organograma do caso, com os acusados de envolvimento no roubo, também foi apresentado. A gravura Minotauro, Bebedouro e Mulheres, de Pablo Picasso, continua desaparecida.   Veja também:  Galeria com imagens de obras roubadas pelo mundo   Veja imagens das câmeras de segurança durante o roubo    José Patrício/AE   Os quadros Mulheres na Janela, do pintor Di Cavalcanti, e O Casal, de Lasar Segall, devem voltar ao museu ainda nesta quinta, segundo informações da assessoria do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic). Os quadros passaram por perícia, acompanhada por membros da Pinacoteca, e estão em perfeito estado, aparentemente sem danos, segundo informações preliminares.   O gerente de padaria Edmilson Silva do Nascimento, de 29 anos, conhecido como Ed, foi preso em Guaianazes, na zona leste. As obras estavam em sua casa. Outros dois acusados de participação no roubo já foram presos e mais três ainda estão foragidos, segundo o Deic.   José Patrício/AE   As obras estavam desaparecida desde o dia 12 de junho, quando foram levados também as gravuras Minotauro, Bebedouro e Mulheres e O Pintor e seu Modelo, de Pablo Picasso. Está última foi recuperada no último dia 19, na zona leste de São Paulo, quando Uéslei Teobaldo Barros, de 30 anos, foi preso.   No dia do furto, três homens armados pagaram R$ 12 de ingresso - R$ 4 cada um -, entraram no prédio e seguiram diretamente para o 2.º andar, onde ficavam as peças roubadas. Outra pessoa ficou do lado de fora da Estação, no Largo General Osório. Os criminosos entraram como se fossem visitantes, sem capuz e com sacolas de pano nas mãos. Depois de subir pelo elevador, o grupo dominou uma funcionária da limpeza. Outros dois empregados foram obrigados pelos criminosos a ficar a distância.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.