SSP
SSP

Polícia apreende metralhadora avaliada em R$ 300 mil em Ribeirão Preto

Armamento é usado em zonas de guerra e pode derrubar aeronaves

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

11 Abril 2018 | 10h11

SOROCABA – Uma metralhadora calibre ponto 30, arma usada em zonas de guerra para derrubar aeronaves, foi apreendida na tarde desta terça-feira, 11, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, a arma é capaz de disparar 600 tiros por minuto e tem preço de mercado em torno de R$ 300 mil. A metralhadora estava num salão de festas, no bairro Jardim Florestan Fernandes, zona norte da cidade, e foi apreendida por uma equipe da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise). O dono do local foi preso, mas se negou a informar a origem do armamento.

+++ LEIA TAMBÉM: Ex-policial acusado de liderar grupo de extermínio pega 56 anos de prisão

Segundo o delegado da Polícia Civil, João Osinski Júnior, não há registro anterior de apreensão dessa arma no Estado. Segundo ele, esse tipo de armamento geralmente não pertence a uma quadrilha, mas é alugado para grandes assaltos. Como a metralhadora ponto 30 pode disparar munição do fuzil 762, ele acredita que a arma pode ter sido usada no mega-assalto a uma empresa de transporte de valores, em julho de 2016, em Ribeirão Preto. No ocasião, cápsulas dessa munição foram encontradas no local do roubo.

+++ LEIA TAMBÉM: Empresário mata ex-mulher a tiros e comete suicídio em Pitangueiras

As metralhadoras são armas automáticas, projetadas para disparar tiros sucessivos a partir de um cinturão de munição e foram aperfeiçoadas durante a primeira e a segunda guerras mundiais. Usadas sobre tripés, as metralhadoras ponto 30 e ponto 50 têm potência para perfurar chapas de aço e blindagem de veículos, por isso são utilizadas em ações contra carros-fortes. Conforme a Polícia Civil, essas armas são adquiridas na Europa e Estados Unidos e entram no Brasil clandestinamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.