Polícia apreende mais de 1,5 milhão de mídias piratas em SP

Produtos foram apreendidos na Galeria Pajé e operação visa combater produtores e distribuidores de pirataria

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

11 de setembro de 2008 | 11h16

Cerca de 1,5 milhão de mídias piratas foram apreendidas na manhã desta quinta-feira, 11, durante operação da Delegacia Antipirataria do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) na Galeria Pajé, na região central da cidade.   Cerca de 80 policiais cumpriram mandados de busca e apreensão em depósitos de mídias piratas instalados na região. Em uma avaliação preliminar, as apreensões podem ultrapassar 1,5 milhão de itens. A operação faz parte de um conjunto de ações cujo o objetivo é combater os grandes produtores e distribuidores de mídias piratas instalados em São Paulo.   Na quarta-feira, 10, os policiais apreenderam aproximadamente 500 mil cópias de mídias piratas na praça Lauro Gomes, centro de São Bernardo do Campo, no Grande ABC. No centro de São Paulo, Guardas Civis Metropolitanos apreenderam, também na quarta, aproximadamente 570 sacos de mercadorias irregulares na região da Avenida Rangel Pestana.   Entre as mercadorias estavam meias, bonés, camisetas, cintos de lona, bolsas, relógios, óculos, tênis, acessórios para celulares, carrinhos que são utilizados para transporte e venda de mercadorias. Foram apreendidos também CDs e DVDs, além de cópias de materiais das marcas Montreal, Puma, Reebok e Ferrari.   Segundo a GCM, a apreensão aconteceu durante uma Operação de Recuperação e Controle de Espaços de Uso Público e de Proteção dos Agentes Públicos Municipais, que está acontecendo no Largo da Concórdia. No momento em que efetuavam apreensão de mercadorias comercializadas irregularmente na Rua Gomes Cardim esquina com a Avenida Rangel Pestana, notaram a entrada e saída de ambulantes em um estacionamento de veículos situado na mesma Rua, no número 57.   Atualizado às 15h36 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
piratariaGaleria Pajé

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.