Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Polícia apreende comida vencida no Kinoshita

Gerente de restaurante japonês badalado da Vila Nova Conceição foi detido, mas pagou fiança e acabou solto; local passou por vistoria após denúncia

Artur Rodrigues e Valéria França,

30 Novembro 2012 | 01h36

SÃO PAULO - A Polícia Civil apreendeu ontem mais de 80 quilos de alimentos vencidos ou em condições impróprias para consumo no badalado restaurante japonês Kinoshita, na Vila Nova Conceição, zona sul de São Paulo. O gerente do local chegou a ser detido.

Policiais do Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania receberam denúncia e foram checar. "Quando examinaram as geladeiras, encontraram diversas irregularidades, como alimento com data vencida. Eram peixes, lulas e outros tipos de pescado voltados a esse tipo de culinária (japonesa)", disse o delegado Archimedes Cassão Veras.

Segundo ele, além de alimentos vencidos, também foram achados produtos que seriam consumidos guardados com outros que seriam descartados. Veras disse que o restaurante foi fechado para se adequar às normas, mas ontem à noite ele funcionava normalmente.

O gerente do local pagou fiança de R$ 3.110 e responderá em liberdade por crime nas relações de consumo.

De acordo com Murakami, chef e um dos sócios do restaurante, não se tratava de comida estragada. "Isso não poderia acontecer porque não trabalhamos com estoque. Nossos ingredientes chegam praticamente todos os dias", explica Tsuyoshi Murakami, um nome conhecido da gastronomia da cidade.

O restaurante funciona com um sistema de menu-degustação, que não é fixo, mas montado dependendo da inspiração do chef e dos ingredientes disponíveis na cozinha.

Ingredientes. Policiais apreenderam carne de porco congelada, filé mignon, polvo e aspargos. Segundo Murakami, esses ingredientes estavam sem prazo de validade. "Sempre que a mercadoria chega ao restaurante, os funcionários são instruídos para dividir tudo em porções menores", explica ele. "A carne de porco, por exemplo, havia chegado ontem ao restaurante. Já estava congelada, mas sem o prazo de validade na embalagem."

O mesmo aconteceu, de acordo com o chef, com os demais ingredientes apreendidos. "O filé mignon foi comprado no açougue. Era comida dos funcionários e por isso estava sem prazo de validade."

Não é a primeira vez que irregularidades são flagradas em restaurantes famosos. No ano passado, cerca de 100 quilos de alimentos fora do prazo foram apreendidos no Hotel Grand Hyatt, no Morumbi, na zona sul.

Mais conteúdo sobre:
restaurante japones alimento nobre vila nova

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.