Polícia ainda busca imagens da morte de delegado

A polícia ainda procura pistas que possam identificar os autores do homicídio do delegado Paulo Pereira de Paula, da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Guarulhos, na Grande São Paulo.

O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2012 | 03h03

Imagens de câmeras instaladas no estacionamento de uma loja de materiais de construção na Marginal do Tietê, perto do local do crime, que poderiam ajudar a esclarecer o caso, não trouxeram informações relevantes. Agora, a polícia procura outras câmeras.

Uma testemunha foi ouvida ontem. O assassinato é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Segundo testemunhas, o delegado da Dise de Guarulhos dirigia pela pista local da Marginal em direção à Rodovia Ayrton Senna no sábado à noite, quando foi abordado por quatro homens em duas motos. O policial foi assassinado com dois tiros na altura do ombro e os bandidos não levaram nada. A carteira, um rádio e a arma do delegado foram encontrados em sua jaqueta, o que indica que não houve tempo para reação. A principal suspeita da polícia é de que ele tenha sido vítima de uma tentativa de roubo seguida de morte. Segundo policiais, também não foi descartada a hipótese de que o delegado tenha sido executado. / W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.