Polêmica marca início da semana de moda

Estilistas reclamam da data e dez marcas ficam de fora da temporada de verão

FLAVIA GUERRA, VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

17 Março 2013 | 02h06

Um clima de descontentamento marca o início da São Paulo Fashion Week (SPFW) Verão 2014, no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. Os desfiles começam amanhã. Mas dez marcas não participam, incluindo Glória Coelho, Reinaldo Lourenço e Alexandre Herchcovitch masculino. A transferência da data de apresentação das coleções de verão de junho para março impossibilitou a presença de algumas grifes. O problema é que todos queriam estar na Bienal (veja ao lado).

Dá para entender. Maior evento fashion do País, a SPFW é importante para o setor de moda. Só de mídia espontânea, estima-se que a temporada traga, em média, R$ 30 milhões - isso sem contabilizar os negócios que giram em torno de R$ 1,2 bilhão. Durante o evento, passam pela Bienal 800 mil pessoas. As grifes ausentes não conseguiram conciliar a produção comercial com a especial para a SPFW. Mesmo quem vai encarar essa temporada está se desdobrando para produzir tudo a tempo.

A alteração das datas começou no ano passado, em outubro, quando a edição outono-inverno foi realizada no Parque Villa-Lobos, zona oeste de São Paulo, pela primeira vez. A intenção era antecipar os lançamentos para que as roupas chegassem mais cedo às lojas. As marcas ficaram desgastadas porque excepcionalmente participaram de três temporadas. O reflexo está surgindo agora.

"A mudança é positiva. No caso da Ellus, já fazíamos um desfile paralelo em outubro, só para compradores, e outro em janeiro para a SPFW. Agora podemos concentrar em uma edição", diz Adriana Bozon, diretora de criação da Ellus, que desfila terça-feira. "Mas se adequar não está fácil. Tivemos quatro meses - isso sem descontar as festas de fim de ano e carnaval - para preparar a coleção que apresentamos agora."

Todos queriam mudar o calendário, segundo Paulo Borges, organizador da SPFW. Mas a alteração esbarrou em outra questão, as datas disponíveis para usar o prédio da Bienal. "Tentei negociar para abril, mas a Bienal tem sua agenda. Consegui, afinal, que ocupássemos o espaço do primeiro e do segundo andar do prédio em março." Enquanto ocorrem os desfiles, no térreo estará sendo montada a SP-Arte, que começa dia 4 de abril.

Brilho. Para compensar as perdas, a SPFW aposta na decoração planejada pelos irmãos Campana, que se transformaram em grife internacional (veja abaixo). A dupla mudou a cara dos corredores ao forrar paredes e pilastras com palha.

A lista de tops também está mais caprichada que na última edição. Animale, por exemplo, abre a temporada de desfiles amanhã com a top americana Karlie Kloss, a segunda do ranking da Models.com, considerada uma 'bíblia' do mundo das passarelas. Ellus traz outra "it girl" americana, Lindsey Wixson, célebre pela sua boca em forma de coração. Das modelos nacionais, Isabeli Fontana desfila para Tufi Duek e Água de Coco, e Fernanda Lima continua pela Forum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.