'Pode-se definir o governo da democracia como o governo do poder público em público'

Há vários fatores que colaboram para o atual quadro da segurança pública, avalia coronel da reserva

Adílson Paes de Souza,

18 Outubro 2012 | 07h58

Há vários fatores que colaboram para o atual (e grave) quadro da segurança pública. Mencionarei dois.

Em recente estudo realizado ficou evidenciado o despreparo dos policiais para o exercício de suas atividades. Eles desconhecem a realidade social em que irão trabalhar, confundem autoridade com truculência, exercício do poder de polícia com superpoderes, onde podem agir segundo suas próprias regras, cujo resultado é a prática de mais arbitrariedade.

Outra questão de suma importância é a falta de transparência. Ações policiais, geralmente com resultado morte, são desenvolvidas em circunstâncias que trazem dúvidas à sociedade. Dados são omitidos, sendo negado acesso à imprensa em geral (basta lembrar que o acesso aos boletins de ocorrências é negado). Respostas a questionamentos ou não existem ou são insatisfatórias.

Norberto Bobbio muito bem definiu democracia como o exercício do poder público em público. Infelizmente toda vez que isto não acontece a democracia e o Estado de Direito são golpeados mortalmente. Só resta saber até quando.

Adílson Paes de Souza é coronel da reserva da PM e mestre em direitos na Faculdade de Direito da USP

Mais conteúdo sobre:
epidemia de homicídios

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.