PMs serão indiciados por suspeita de homicídio no Tremebé

Agentes disseram que homem morto era traficante e reagiu à abordagem; testemunhas negam versão policial

Fabiana Marchezi, Central de Notícias

10 de setembro de 2009 | 17h48

A Polícia Civil confirmou na manhã desta quinta-feira, 10, que vai indiciar três policiais militares por suspeita de envolvimento no assassinato de Ronnan Azevedo Santos, de 20 anos, no último dia 26, no Jardim Filhos da Terra, no Tremembé, zona norte de São Paulo.

 

Veja também:

link Irmã diz que jovem foi executado pela PM

link Neste ano, 9 protestos ocorreram em favelas

 

A morte do jovem resultou em protestos na favela. Houve confronto de moradores com a PM. Segundo o delegado Carlos Laet de Souza, do 73.º Distrito Policial, "há indícios de que os PMs que atuaram na ação tenham cometido homicídio doloso" - quando há intenção de matar.

 

Para a PM, Ronnan era traficante de drogas e reagiu a uma abordagem feita em um campo de futebol do bairro. Os militares afirmam que ele teria morrido após uma troca de tiros. Com ele, foram encontrados um revólver e 50 pedras de crack.

 

Já para as testemunhas ouvidas pelo delegado, o jovem não trocou tiros com os PMs, não reagiu à abordagem e os policiais o mataram do mesmo jeito. Os policiais suspeitos - dois soldados e um sargento - ainda não foram ouvidos.

Mais conteúdo sobre:
Tremembéprotestofavelapolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.