PMs são presos após morte de rapaz no Rio

Quatro policiais militares foram presos ontem sob a acusação de agredir e matar um jovem de 17 anos, em Campinho, na zona norte do Rio. O crime ocorreu na madrugada de ontem. Fabiano Oliveira Braga chegou a ser levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Madureira, bairro vizinho a Campinho, onde morreu.

Wellington Bahnemann e Thaise Constancio / RIO, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2014 | 02h02

De acordo com o registro da Polícia Civil, Braga estava na garupa de uma motocicleta quando foi abordado pelos PMs. Após ser agredido, o adolescente teria batido a cabeça no chão.

Diante da "gravidade dos fatos", o comandante-geral da Polícia Militar, coronel José Luís Castro Menezes, determinou a prisão dos policiais Leonardo Alves da Silva, de 25 anos, Phellipe da Sá Laranjeira Azevedo, de 23, Carlos Henrique Conceição da Silva, de 26, e Hugo Leonardo Silva de Carvalho, de 29, lotados no 9.º Batalhão de Polícia Militar, em Rocha Miranda, zona norte. Os policiais foram encaminhados à prisão da PM.

O comandante do 9.º BPM, tenente-coronel Wagner Morehtzohn, esteve na 29.ª Delegacia de Polícia (Madureira), onde o caso foi registrado, para acompanhar as investigações. Segundo ele, a equipe estava subordinada à Companhia Destacada do Morro São José Operário, na Praça Seca, na zona oeste do Rio e, portanto, estava fora de sua área de atuação, já que o fato ocorreu em Campinho. "Se ficar comprovado que isso ocorreu sem uma justificativa, os policiais também terão cometido um crime militar", disse.

Guerra do tráfico. Moradores da Vila Kennedy, na zona oeste do Rio, realizaram na manhã de ontem um protesto pedindo mais policiamento após um confronto entre traficantes rivais ter deixado um rapaz de 17 anos morto e outro ferido na madrugada de anteontem. Os manifestantes fecharam a Avenida Brasil. Um ônibus foi queimado durante a manifestação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.