PMs são acusados por roubo de caixa eletrônico em São Paulo

Policiais foram filmados abordando assaltantes na agência sem prender ninguém; dinheiro não foi recuperado

Josmar Jozino e José Dacauaziliquá, Jornal da Tarde

17 Dezembro 2008 | 20h03

Um sargento, um cabo e dois soldados do 28.º Batalhão são acusados de envolvimento no furto de um caixa eletrônico ocorrido na madrugada do último 12, em Guaianases, zona leste da capital. Eles estavam em serviço e foram acionados para averiguar denúncia de arrombamento do equipamento bancário. Os PMs foram filmados abordando os assaltantes na agência. Porém, ninguém foi preso. Os R$ 22 mil levados do banco não foram recuperados.   A câmera do circuito interno da agência bancária da Rua Otelo Augusto Ribeiro, 150, Vila Cruzeiro, filmou toda a ação. As imagens ajudaram a Polícia Militar a identificar os quatro PMs da 1ª Companhia do 28.º Batalhão. Um deles, o sargento Bittencourt, foi o primeiro a ser preso. Superiores revistaram o armário dele, à procura dos R$ 22 mil furtados do caixa eletrônico, mas encontraram drogas.   Bittencourt foi levado para o Presídio Militar Romão Gomes, na Água Fria, zona norte da capital. A 5ª Sessão do Estado Maior da Polícia Militar informou que a Corregedoria vai pedir nesta quinta-feira, 18, a prisão temporária dos outros três PMs. Os nomes deles não foram divulgados. Há fortes indícios da participação dos quatro no furto ao caixa eletrônico. O caso foi registrado no 44.º Distrito Policial, de Guaianases.   A Polícia Civil apurou que um vigilante foi acionado para ir ao banco após o alarme ter disparado, por volta de 1h50. O vigia afirmou ainda que PMs já estavam no caixa eletrônico e pediram a ele que ficasse distante enquanto verificavam o que ocorria na agência. Os PMs foram embora minutos depois. O vigia acionou o Comando de Operações da Polícia Militar (Copom) e soube depois que o banco foi assaltado por três homens. Os ladrões usaram explosivos para retirar o dinheiro do equipamento.   Duas guarnições da 1ª Companhia do 28.º Batalhão, compostas pelo sargento, o cabo e dois soldados foram para o local. Segundo a Polícia Civil, as imagens do circuito interno são claras e mostram os PMs "prendendo" os assaltantes. Só que nenhum ladrão foi apresentado pelos PMs no 44.º DP. As guarnições também não avisaram o Copom .   Os quatro PMs vão ser ouvidos em Inquérito Policial Militar (IPM) aberto pela Corregedoria da corporação. Eles também devem depor no 44.º DP. A fita com as imagens dos policiais militares e dos assaltantes no caixa eletrônico foram encaminhadas ao Instituto de Criminalística (IC) para perícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.