PMs registram 1º dano a viatura e depois morte

Policiais militares do 12.º Batalhão (Campo Belo) são acusados de deixar uma ocorrência de atropelamento com morte para justificar ao comando como sua viatura foi danificada. Com isso, a delegacia da área só foi avisada da morte após duas horas. Para a Polícia Civil, isso vai atrapalhar o processo criminal, pois a perícia do carro e do local do acidente foi prejudicada. "O que é mais importante: lesão de vítimas ou batida de viatura?", questiona a delegada Leslie Caram Petrus.

O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2012 | 03h04

Na noite de sábado, a dona de casa Elenice da Cunha, de 48 anos, atravessava a Avenida Jornalista Roberto Marinho com uma amiga quando um Monza a atingiu. Ela morreu a caminho do hospital. Policiais sinalizaram a rua. Mas um Palio em alta velocidade bateu na viatura, que. com o impacto, atropelou outras pessoas - feridas sem gravidade.

A PM confirma a inversão na apresentação das ocorrências - em vez de irem ao DP, PMs foram primeiro ao Plantão de Polícia Judiciária da corporação. Mas, para a Polícia Militar, a perícia não foi prejudicada. / CAMILLA HADDAD

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.