'PMs foram traídos pelo Estado', diz advogada de defesa

Para defensora, um só jurado decidiu sentença de todos; 23 policiais foram condenados pelo massacre do Carandiru

Bruno Paes Manso,

21 de abril de 2013 | 01h56

 A advogada de defesa, Ieda Ribeiro Souza, viu a sentença com 'tristeza'. ela já entrou com apelação, com um recurso pedindo a anulação do júri, uma vez que a sentença não teve por base os autos. "Não é possível considerar a existência de homicídio qualificado, com PMs sendo feridos e presos reagindo."

Como a condenação foi por 4 votos a 3, ela ressaltou que "um jurado decidiu o destino dos réus". "Além disso, a PM se sentiu traída pelo Estado. É um absurdo jurídico o ex-governador e o secretário de Segurança, no caso, não terem sido denunciados." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.