PMs da Rota vão para a Baixada Santista após série de assassinatos

Policiais da Rota vão reforçar o policiamento da região; não há data para que o grupamento retorne à capital

Zuleide de Barros,

08 Outubro 2012 | 18h32

SANTOS - A morte de um sargento na madrugada de domingo e a contagem de 14 assassinatos em apenas quatro dias na Baixada Santista fez com que o comando da Polícia Militar do Estado se mobilizasse contra a série de atentados. No próprio domingo, o secretário estadual de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, esteve reunido com o comandante da Polícia Militar, Roberval Ferreira França, na sede do comando da PM em Santos, a fim de tomar uma série de providências. A primeira medida emergência foi o encaminhamento de policiais da Rota (Rondas Ostensiva Tobias de Aguiar) para reforçar o policiamento da região e sem data para que o grupamento retorne à capital.

Os assassinatos começaram na última quinta-feira, quando sete pessoas foram mortas em um espaço de 20 horas no distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá. No fim de semana, os crimes voltaram a se repetir, ocasião em que mais sete pessoas foram mortas, dentre as quais o sargento da Força Tática do 6º Batalhão da PM, Marcelo Fukuhara, de 45 anos, que já vinha recebendo ameaças. Ele era responsável pelo policiamento dos morros do São Bento, Nova Cinta e Monte Serrat.

O policial foi morto com vários tiros de fuzil, em frente ao Buffet, de propriedade da sua esposa, no bairro da Ponta da Praia. Ele passeava com seu cachorro, por volta da meia-noite. Um segurança do estabelecimento, que tentou socorrer o sargento, também foi morto. De acordo com testemunhas, que não quiseram se identificar, os marginais ocupavam um carro preto, de luxo, e estavam encapuzados.

Quatro horas depois, ação semelhante ocorria na Vila Mathias, onde outras três pessoas foram mortas: Fábio Manoel França, cabeleireiro, de 29 anos; o discotecário José Rodrigo de Pina Júnior, de 25, e a estudante Melissa Gouveia, de 36 anos.Todas foram executadas com armas de calibres 38 e 9 mm. Os criminosos também ocupavam um carro preto.

Do outro lado da cidade, no bairro Areia Branca, uma casa foi invadida e um casal foi alvejado. Carlos Roberto de Jesus, de 53 anos, morreu na hora. Já sua namorada, Tatiane Fonseca de Oliveira, de 27 anos, conseguiu escapar, depois de levar um tiro na perna. Quase no mesmo horário, um homem não identificado foi morto no Morro do Saboó, na entrada da cidade. A ocorrência foi registrada em boletim no 1º Distrito Policial.

Durante o enterro do policial, no final da tarde de domingo, alguns companheiros de farda do sargento afirmaram que ele vinha recebendo ameaças de morte. Um deles chegou a desabafar: "quando um juiz ou outra autoridade é ameaçada, nós somos escalados para fazer a segurança em frente a casa dele, pelo menos durante um mês. Agora, quando somos ameaçados, a corporação nos abandona", criticou.

Mais conteúdo sobre:
PM Rota assassinatos Baizada Santista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.