PM vai 'tomar conta'de presos na rua

Entre os 645 municípios do Estado, o Tribunal de Justiça de São Paulo tem comarcas em 316. Essa estrutura dificulta a fiscalização do recolhimento noturno e, nos dias de folga, de réus e sentenciados em semiliberdade que podem trabalhar.

O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2012 | 02h05

Para solucionar o problema, o TJ-SP firmou convênio com a Polícia Militar, que passa a assumir a tarefa de fiscalização daqueles que estão na rua.

Atualmente, já cabe aos PMs a responsabilidade de escoltar presos, missão que cumprem com 1,8 mil homens e 800 viaturas.

Segundo o assessor da presidência, Rodrigo Capez, a fiscalização dos réus e presos em semiliberdade não vai sobrecarregar os PMs. "A tarefa será feita pelas viaturas de área, que já precisam circular nessas ruas", diz. / B.P.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.