PM vai ajudar a fiscalizar as faixas de pedestre em SP

Nova fase da campanha municipal atingirá as 14 vias da capital paulista que mais registraram atropelamentos no ano passado

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

03 Abril 2012 | 03h02

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vai ter ajuda da Polícia Militar para aumentar a fiscalização de veículos nas 14 vias da capital paulista que mais registraram atropelamentos no ano passado e, assim, incrementar a Campanha de Proteção ao Pedestre, que completa um ano em maio. As ações conjuntas, com blitze e orientadores de rua, começam amanhã. Balanço divulgado ontem mostra ainda queda de 7,9% no número de mortes por atropelamento.

O levantamento, no entanto, é parcial: compara o período de 1.º de maio até 31 de janeiro deste ano - desde o início da campanha - com o mesmo período do ano anterior. Foram 427 casos, ante 464 em 2010. Mas é a primeira vez, desde 2008, que o total de mortes por atropelamento tem queda. Na comparação com 2008, a redução é de 11%.

O diretor de Planejamento e Educação de Trânsito da companhia, Irineu Gnecco Filho, afirma que os PMs vão atuar na fiscalização da situação legal dos veículos. "Muitas vezes, são carros sem documentação e condutores sem habilitação", afirma. Sem documentação em dia, a eficácia da multa é reduzida - não adianta multar quem jamais vai pagar a infração.

É a terceira grande frente de ação com as polícias da gestão Gilberto Kassab (PSD), que terá a ajuda de policiais para seguir adiante. A ação de maior sucesso é a fiscalização de camelôs, feita pela PM, por meio de um convênio. Há ainda a fiscalização da Lei Cidade Limpa, alvo de uma ação junto com a Polícia Civil.

Ontem, entretanto, quando as ações foram explicadas à imprensa, os técnicos evitaram dar à operação um tom policialesco. O diretor de Operações da companhia, Eduardo Macabelli, afirmou que o uso da PM servirá para complementar as ações de educação da CET. "A fiscalização na região da periferia sempre foi mais complicada", afirmou, destacando também a falta de agentes.

A ideia é que os PMs reforcem a abordagem aos veículos nessas vias, até mesmo retirando de circulação os carros sem documentação correta. Paralelamente, a CET vai fazer ações de educação nas ruas, com orientadores, e os chamados "mãozinhas", posicionados nos principais cruzamentos. Em conjunto com os orientadores, 125 marronzinhos da CET serão deslocados para esses locais para aumentar a fiscalização de quem desrespeita a faixa.

É estratégia parecida com a das ações desenvolvidas na região central, em que as mortes de pedestres caíram quase um terço na comparação de 2011 com 2010 - de 32 para 20 casos. Duas novas campanhas publicitárias vão ser veiculadas na TV a partir da segunda quinzena deste mês. Uma reforçando mensagens de respeito à faixa. Outra trazendo informações sobre a travessia correta nos semáforos.

Periferia. A maior parte das vias que serão alvo da nova ação conjunta com a PM fica em regiões periféricas. Na zona leste, os destaques são as Avenidas Sapopemba - líder em atropelamentos em 2011, com 76 casos -, seguida pelas Avenidas Marechal Tito, Rageb Choffi e São Miguel. Na zona sul, os endereços são as Avenidas Guarapiranga, Senador Teotônio Vilela e Cupecê, além das Estradas de Itapecerica e do M'Boi Mirim. Na zona norte, os locais são Avenida Inajar de Sousa e Deputado Cantídio Sampaio. E, no centro, as Avenidas São João, Brigadeiro Luís Antônio e a Rua Vergueiro. Somados, os 14 locais registraram 530 atropelamentos em 2011. Os números da cidade toda ainda não foram divulgados.

Metas. A diminuição de atropelamentos, no entanto, ainda é tímida: a meta da CET é reduzir em 50% o número de mortes até o fim deste ano, tendo como ano de referência 2010. "Eles foram muito otimistas no começo, achando que a população iria aderir mais (à campanha)", diz o engenheiro de trânsito Luiz Célio Botura, ex-ombudsman da CET.

Para ele, a redução poderia ser mais expressiva caso a cidade tivesse mais faixas para travessia de pedestres, por exemplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.